• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Round 6: entre o lucro e o cancelamento
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Velhofobia e a Dama de Baco - Por Francis Ivanovich

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > saúde > bem estar

Saúde - Bem Estar

 

Quinta-feira, 07 de Outubro de 2021

CPI não investigou denúncia de exclusão de negros nas UTI de covid

 Arte de Consp/@instagrafite
Arte de Consp/@instagrafite

A primeira morte de Covid-19 registrada no Brasil foi de uma mulher negra. Cleonice Gonçalves, 63 anos, idosa, empregada doméstica, morreu após ter sido contaminada pela sua patroa, que tinha viajado à Europa. Cleonice não foi à Europa. A patroa, mesmo doente, não dispensou a "criada".

A questão é matemática, conforme comprovou um dos dois estudos sobre o tema realizados no Brasil. O Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde, grupo da PUC-Rio e outro do Instituto Pólis: enquanto 55% de negros morreram por covid, a proporção entre brancos foi de 38%.

Na segunda pesquisa, o Instituto Polis mostrou que a taxa de óbitos por covid-19 entre negros na capital paulista foi de 172/100 mil habitantes, enquanto para brancos foi de 115 óbitos/100 mil habitantes.

E a coisa vai além. Mesmo a partir da vacinação em massa no Brasil, a desigualdade entre pretos e brancos se revelou perversa. Reportagem da Agência Pública de março deste ano apontou para a discrepância entre brancos e negros vacinados: 3,2 milhões de pessoas que se declararam brancas receberam a primeira dose do imunizante contra o novo coronavírus. Já entre os negros, esse número cai para 1,7 milhão.

O cenário poderia ser ainda mais revelador não fosse por um detalhe: só em abril de 2020 que o Ministério da Saúde começou a incluir a informação sobre raça e cor nos boletins epidemiológicos, após pressão de movimentos sociais, como a Coalizão Negra Por Direitos e o GT Racismo e Saúde da Abrasco. Entretanto, a metade dos estados não incluiu esta observação no termo de óbito.

A escolha sobre qual paciente seria internado, iria para a UTI ou intubado obedecem a fatores subjetivos, como uma análise do médico, o que foge a uma checagem de outros órgãos oficiais ou mesmo entidades.


 

Veja também:

>> Racismo em Federal do RS: "exala um cheiro típico"

>> André Mendonça seguirá no limbo na tentativa de ocupar vaga no STF

>> Cinegrafista do SBT é esfaqueado durante assalto no DF

>> Morre Lizzie Bravo, a "Esperança de Óculos" de "Casa no Campo"

>> Vereadora trans de SP indicada como uma das mais influentes do mundo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
CPI não investigou denúncia de exclusão de negros nas UTI de covid
 

Copyright 2021 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!